estudo-de-viabilidade

Aprenda agora mesmo como fazer um estudo de viabilidade em startups

Aprenda agora mesmo como fazer um estudo de viabilidade em startups

 

Quando falamos de startups, que são empresas naturalmente focadas em inovar, o sucesso delas está diretamente ligado à capacidade de criação.

 

Mas nem só de ideias vive um negócio! É preciso também saber executar planos de ação, tirar projetos do papel, organizar planejamentos e, principalmente, obter os recursos para isso.

 

Investir em startups é uma tendência que muitas corporações têm seguido no decorrer da última década. Isso porque trata-se de um modelo de negócios com capacidade de retorno rápido e uma enorme geração de lucros.

 

No entanto, também existe um risco alto envolvido no investimento em startups. Por isso, muitos investidores realizam o chamado estudo de viabilidade, com objetivo de mensurar a capacidade de retorno do investimento.

 

Você sabe o que é um estudo de viabilidade? Sabe qual é a importância dessa ferramenta empresarial para uma startup? Neste artigo vamos explicar essas questões, além de ensinar como fazer um estudo desse tipo na sua empresa!

 

Leia com atenção e aprenda agora mesmo!

O que é um estudo de viabilidade?

Um estudo de viabilidade é um processo adotado por empreendedores que buscam mensurar o potencial de crescimento e rentabilidade de um negócio. Considerando que esse potencial é uma questão especialmente importante para startups, esse procedimento acaba sendo essencial para esse tipo de empresa.

 

Em suma, o objetivo de um estudo de viabilidade é quantificar, de certa forma, a ideia sob a qual se sustenta o empreendimento. Além disso, esse processo tenta analisar os planos de ação criados pelo empresário para fazer com que esse crescimento ocorra.

 

Uma empresa não se cria somente com base na premissa de que as ideias irão vingar. É preciso também estar preparado para fazer ajustes e manobras financeiras caso as vendas não cresçam conforme o esperado.

 

O estudo de viabilidade busca analisar diversos fatores sobre uma startup, como, por exemplo:

 

  • Análise do setor de mercado;
  • Capital social e capital de giro;
  • Diferenciais de competição;
  • Faturamento e plano orçamentário;
  • Folha de pagamento;
  • Controle do fluxo de caixa;
  • Gestão de custos;
  • Gestão de estoque e outros aspectos logísticos, caso aplicável;
  • Taxa interna de retorno;
  • Adequação às tendências do mercado;
  • Ticket médio;
  • Indicadores-chave de desempenho (KPIs, ou “Key performance indicators”, em inglês);
  • Valor presente líquido.

Qual é a importância de fazer um estudo de viabilidade em startups?

Uma startup é um tipo de empresa que depende fortemente de sua capacidade de atrair investimentos. Trata-se de um negócio com baixo custo e muita inovação mercadológica e operacional.

 

Algo que as startups têm em comum é a busca por investidores, que podem colaborar, de inúmeras maneiras diferentes, para o crescimento e a estabilização econômica dessa empresa.

 

No entanto, os investimentos não vêm com tanta facilidade e é preciso trabalhar para tornar sua empresa atrativa para isso. É aí que se nota a importância de um estudo de viabilidade. É justamente esse processo empresarial que aponta os pontos positivos do seu negócio e ainda sinaliza os setores onde os investimentos podem ser feitos.

 

Isso ajuda não somente a qualificar o potencial de crescimento de uma startup, mas também a fazer com que o empreendedor perceba os tipos de investimentos dos quais seu negócio precisa.

 

Leia também: Contabilidade para startups: entenda a importância.

Aprenda agora mesmo como fazer um estudo de viabilidade para startups!

Agora que você já sabe o que é e qual é a importância de fazer um estudo de viabilidade em startups, aprenda agora mesmo como fazer um! Confira os passos:

  1. Analisar o setor de mercado

A viabilidade de uma startup depende muito da sua capacidade de inovação. Para que uma empresa se destaque no seu meio de atuação, é preciso que ela tenha diferenciais competitivos, além de saber preencher lacunas no mercado que a concorrência não é capaz de suprir.

 

Para isso, é importante avaliar o crescimento do setor como um todo, bem como fazer pesquisas de mercado, desde o consumidor até os trabalhadores da área. Desta maneira, é possível identificar os problemas não detectados pela concorrência, e trabalhar em cima disso.

 

No entanto, é preciso desenvolver outra estratégia paralelamente a uma análise de mercado, que é a definição de uma persona. O que nos leva, por sinal, ao próximo passo!

  1. Conhecer o público-alvo

O público-alvo é um conceito amplo sob o qual são definidas grande parte das estratégias de venda. Uma mesma marca, produto ou serviço podem ter diferentes públicos-alvo, mas é preciso saber trabalhar cada um de forma específica.

 

Para conseguir fazer uma análise mais detalhada do público-alvo, e saber quais problemas o seu consumidor possui, é importante definir uma persona. A persona é um perfil ficcional que possui uma série de características comuns, e deve fazer ser uma espécie de “mediana demográfica” em relação ao seu público-alvo como um todo.

 

Isso ajuda a compreender as necessidades dos clientes e quais problemas a sua startup precisa resolver de forma inovadora e vantajosa para o consumidor.

  1. Fazer uma projeção orçamentária

A projeção orçamentária, ou fluxo de caixa futuro, é uma espécie de estimativa financeira de como se portará o seu capital de giro em um período próximo de tempo. Para que isso seja feito de forma precisa, é necessário avaliar os registros anteriores de entradas e saídas, extratos bancários, e todos os dados que forem úteis para ajudar a fazer uma previsão mais segura.

 

Esse dado é importante para avaliar a rentabilidade financeira da sua startup, que é uma informação crucial para um estudo de viabilidade.

 

Além disso, a projeção orçamentária é uma forma importante de avaliar a lucratividade de um negócio, que é essencialmente o que um investidor busca.

  1. Analisar os principais indicadores financeiros

Em um estudo de viabilidade, uma startup deve estar atenta a alguns indicadores financeiros primordiais. Entre eles, podemos destacar:

 

  • Taxa interna de retorno;
  • Taxa mínima de atratividade;
  • Valor Presente Líquido;
  • Payback.

 

Com números baseados nesses índices em mãos, um investidor consegue estimar o tempo de retorno do investimento, assim como o potencial de crescimento da empresa. Além disso, esses indicadores ajudam um empreendedor a identificar carências e desenvolver estratégias para aumentar o capital de giro, quando necessário.

 

Veja também: Perdi o prazo de adesão ao Simples Nacional, e agora?

Conte com uma contabilidade digital especializada em startups!

Se você é gestor de uma startup e quer fazer um estudo de viabilidade preciso, seguro e com informações de qualidade, a melhor solução é contar com o apoio de uma contabilidade especializada.

 

Sendo assim, venha conhecer os serviços da PBA Contabilidade! Somos uma contabilidade digital com ampla experiência em trabalhar com startups. Nossa metodologia de trabalho inovadora e modernizada está em plena sintonia com a forma que esse modelo de negócios funciona.

 

Entre em contato e saiba mais sobre as nossas soluções contábeis, ou deixe um comentário logo abaixo e responderemos em breve!

 

Gostou do conteúdo? Então siga as nossas redes sociais e confira mais artigos como este no nosso blog. Continue sua leitura: Precificação: como calcular o preço do seu produto ou serviço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo